A função de uma bomba de combustível é deslocar o combustível que está no tanque para o sistema de alimentação do motor, suprindo, assim, todas as suas condições de trabalho, como carga, rotação e temperatura. Existem dois tipos de bombas: a mecânica, presente nos carros carburados e movida por um eixo; e a elétrica, que equipa os veículos com injeção eletrônica e é acionada por um motor elétrico.
Entre os modelos de bombas elétricas estão as do tipo interna e externa ao tanque. A primeira fica submersa e aspira o combustível do fundo do tanque, impulsionando-o através de um tubo de abastecimento aos bicos injetores. A segunda, do tipo externa, está fixada no chassi do veículo, próxima ao tanque ou ao motor, e suga o combustível por um tubo coletor dentro do tanque.

A bomba é classificada ainda em modular, que conta com um reservatório de plástico para alojar a bomba, o filtro e o medidor de combustível, que geralmente são substituídos em conjunto; e não modular, em que os itens do conjunto são trocados separadamente. Dentro da bomba são encontrados os seguintes componentes: motor elétrico, conjuntos de alta pressão e em alguns casos um pré-filtro.

O funcionamento ideal da peça depende das condições dos itens que compõe o sistema de alimentação, ou seja, filtros, pré-filtros, mangueiras e combustíveis de qualidade. Na bomba propriamente não há manutenção, assim é necessário cuidar da substituição do filtro de combustível e pré-filtro nos intervalos indicados pela montadora. Desta forma a bomba de combustível trabalhará em condições adequadas tendo maior durabilidade.

Os sintomas de avarias na bomba de combustível podem ser verificados nas seguintes situações: baixo desempenho e falhas do motor devido à pressão e/ou vazão insuficiente. Rodar com o carro constantemente na reserva também pode comprometer o bom funcionamento da bomba de combustível, pois é refrigerada pelo combustível.
A falta de manutenção preventiva pode prejudicar a bomba de combustível e ocasionar alguns problemas como a diminuição da vazão em situações de maior carga aplicada ao motor e rotação um pouco mais elevada que irá exigir mais combustível, uma queda de pressão, o que acarretará falhas no motor e, no caso da bomba parar de funcionar, o motor do veículo também não irá funcionar por falta de combustível.
Alguns parâmetros do scanner de diagnose também podem indicar falhas de funcionamento da bomba, desde que as informações sejam interpretadas corretamente pelo mecânico, como por exemplo, tempo de injeção alto, grandes correções de BLM, baixo retorno de tensão do sensor de oxigênio. Além disso, deve ser realizado o teste de bateria e alternador para checar seu desempenho e a parte elétrica do veículo, principalmente aterramentos. Com o manômetro é possível verificar se a pressão está dentro dos limites especificados pelo fabricante. No teste de vazão com o rotâmetro ou na coleta, pode-se verificar o volume de combustível.

Não existe reparo de bomba de combustível, uma vez diagnosticado problemas, a bomba deve ser substituída, pois trata-se de um produto “selado”, que se for aberto perde a garantia de funcionamento perfeito.
Super aquecimento, andar sempre na reserva, entupimento do filtro e pré-filtro forçam o motor elétrico que pode queimar. É possível realizar a troca dos filtros, e em alguns casos, mangueiras e conexões preventivamente.
Na hora de comprar uma bomba de combustível para reposição, o reparador deve ficar atento à utilização de peças remanufaturadas e recondicionadas, bastante oferecidas nas oficinas mecânicas para baratear o custo do serviço e condenadas pelos fabricantes do produto. “É importante lembrar que o preço, apesar de ser mais em conta na visão do consumidor, pode sair caro em um espaço curto de tempo, com as conseqüências de deixar o motorista pelo caminho.

Passe no Centro Automotivo e Mecânica Mercury Car para verificar a pressão da sua BOMBA DE COMBUSTÍVEL.